Agnes Arruda

 

Doutora e Mestra em Comunicação pela Universidade Paulista. Possui graduação em Comunicação Social - Jornalismo pelas Faculdades Integradas Teresa D´Ávila (2005), trabalhando o tema folkcomunicação. Professora Coordenadora dos Cursos de Design Gráfico, Jornalismo e Publicidade e Propaganda - da Universidade de Mogi das Cruzes (atual), com produção técnica em assessoria de imprensa e editoração. Experiência em Comunicação com ênfase em política e educação.

 

Currículo Lattes

Projeto de Pesquisa

Este projeto de pesquisa tem por tema a gordofobia nos media e suas consequências nas relações sociais, ou seja, como a representação das pessoas socialmente consideradas gordas nos meios de comunicação hegemônicos interfere nos processos comunicacionais que, obrigatoriamente, estão relacionados ao corpo. Justifica-se este projeto considerando o silêncio social e acadêmico a respeito do tema, o que contribui para reforçar o comportamento preconceituoso e a consequente segregação das pessoas que sofrem com esse preconceito. Como problematização e hipótese, vê-se uma direta relação entre a gordofobia e o ethos midiatizado, considerando o processo de transformação de tudo, e em consequência do corpo, em imagem midiática. Pretende-se, assim, desvelar esse processo, usando como metodologia a pesquisa bibliográfica e documental, análise de conteúdo, bem como a observação participante e a entrevista em profundidade. Tem-se como referencial teórico os estudos de Kamper (2000; 2002), Baitello (2005) e Girard (1972), entre outros autores. O objetivo é proporcionar uma possível desconstrução do discurso que penetra o imaginário sociocultural já tomado pelos media, em um processo de reencontro com o corpo.

 

Palavras-chave: Corpo; imagem; media; gordofobia; mediatização.

 

Das Ruas Para a Web E Vice-Versa: Os Cartazes De Protesto Como Folkcomunicação No Mundo Concreto E No Mundo Virtual

Palavras-Chave: Folkcomunicação ; Cartazes; Aativismo Político; Ciberativismo; Facebook.

Resumo: Este artigo apresenta estudo sobre o uso de cartazes de protesto como forma de comunicação entre ativistas políticos e ciberativistas. Fundamentado nas teorias da Folkcomunicação, atualizadas no que diz respeito à comunicação nos movimentos sociais e aos meios nele utilizados, e também no que se refere à cultura da convergência, cibercultura e redes sociais na internet, o objetivo é analisar como os grupos se apropriaram, tanto da internet, quanto de um meio simples de comunicação, os cartazes, para transmitir frases de efeito e vozes de comando durante os recentes manifestos contra a corrupção no Brasil.

Das ruas para a web e vice-versa: os cartazes de protesto no mundo real e no mundo virtual. Revista Internacional de Folkcomunicação, v. 12, p. 121-134, 2014. Com Hércules Moreira.

Please reload

 

Legado Pós-Beltraniano: Integrados, Apocalípticos ou Culturalistas?

Disciplina em processo de maturidade acadêmica, a Folkcomunicação tem se mantido em constante sintonia com o espírito do tempo. Sem perder de perspectiva sua vocação popular, seu compromisso com a superação da marginalidade social, vem buscando desenvolver estudos de interesse da grande área de comunicação. A metamorfose tem sido, portanto, uma característica permanente da sua trajetória.

Legado Pós-Beltraniano: Integrados, Apocalípticos ou Culturalistas?, por Guilherme Fernandes. In: MARQUES DE MELO, J.; FERNANDES, G. M.. (Org.). Metamorfoses da Folkcomunicação: antologia brasileira. 1ed.São Paulo: Editae Cultural, 2013, v. 1, p. 899-901.

Bonecas Caiçaras Geram Renda e Contam História

Palavras-Chave: Cultura. 2. Brasil - Política cultural; Schmidt, Cristina; Valente; Heloisa; Prados, Rosália Maria; Série.

Bonecas Caiçaras Geram Renda e Contam História in.: Mídia e políticas culturais / organização Cristina Schmidt, Heloisa Valente, Rosália Maria Prados. - 1. ed. - São Paulo : Ícone, 2015.

Please reload

© Mídia e Imaginário - Grupo de Pesquisas em Mídia e Estudos do Imaginário.